20November2019

Irmãs Franciscanas Bernardinas

Evangelizando em nome de Jesus

Você está aqui: Home Notícias Geral Atividade Pastoral em Apuiarés

Atividade Pastoral em Apuiarés

Ir. Maria Cristina Melo mora e trabalha em Apuiarés, CE. Foi solicitado dela um depoimento sobre o trabalho que ela faz junto com o povo da Paróquia São Sebastião. Esse depoimento será publicado nos Estados Unidos pela Congregação das Irmãs Franciscanas Bernardinas. Leia o seu depoimento abaixo e veja algumas fotos dela e dos catequistas com os quais ela trabalha.

 

"Sou Ir. Maria Cristina Melo, natural de Fortaleza-Ceará. Tenho 54 anos e sou Irmã Franciscana Bernardina há 33 anos. Morei muitos anos na cidade Fortaleza, CE mas em fevereiro de 2012 fui transferida para uma pequena cidade do interior do Ceará chamada Apuiarés onde assumi a Coordenação Paroquial da Catequese. Antes de chegar aqui já estava me preparando com o coração muito aberto para acolher a nova realidade na qual eu iria viver e trabalhar. Era a primeira vez que eu iria trabalhar com a catequese e digo com toda sinceridade que foi uma bênção de Deus poder assumir um trabalho tão maravilhoso como este.

A catequese é paroquial, portanto acompanho o trabalho na sede e nas regiões da zona rural. Trabalho com uma Equipe de cinco pessoas leigas que me ajudam muito nas diversas atividades.

Quando assumi a coordenação, as turmas de crianças eram espalhadas nas escolas e no Salão Paroquial, juntamente com a Equipe de coordenação busquei reaver umas salas que estavam abandonadas e transformá-las no Centro de Catequese. Fizemos um mutirão para limpeza e pintura do prédio e arranjamos móveis usados. As salas são mal estruturadas, não têm uma boa aparência, mas todas as turmas estão sendo atendidas lá. Isto facilitou meu trabalho, pois tenho condição de ver a atuação das catequistas, acompanhar as dificuldades que enfrentam com as crianças e buscar soluções, orientar, dar avisos, conversar com as mães que acompanham as crianças ao Centro, etc.

Procuramos dar suporte aos catequistas para exercerem bem sua missão. Temos Encontros de Formação, Planejamento e avaliações. Nos encontramos semanalmente para estudo bíblico  e planejamento das Aulas que seram ministradas com as crianças durante o mês.

Os encontros com as crianças acontecem no sábado. Este ano temos 4 turmas de 1ª Eucaristia, três turmas de infantil e duas turmas de perseverança, crianças que já fizeram a 1ª Eucarista.

Geralmente as turmas são entre 25 a 30 crianças.

Também temos seis turmas de jovens se preparando para o Sacramento do  Crisma.

Os encontros do Crisma são feitos em três locais separados com dias e horários diversos para atender aos jovens que já trabalham, estudam em outras cidades, ou tem atividades em horários diferentes. Nos encontramos mensalmente com os catequistas desta etapa para planejamento dos encontros, formação, partilha das dificuldades e avaliações.

Nas comunidades rurais é mais difícil o acompanhamento devido a distância e a falta de condições financeiras para pagar o transporte para chegar lá. A Paróquia tem 22 comunidades e está organizada em 5 regiões. Assim sendo, a formação é mensal e por região. Apesar das dificuldades financeiras sempre conseguimos chegar até eles, pois sentimos o quanto eles desejam e esperam por este dia. É muito gratificante ver a disposição, o amor e o compromisso com eles assumem esta missão e ajudam no crescimento espiritual e humano das crianças e das familias.

Temos dois encontrões de catequistas no ano,com as presença dos catequista da sede e da zona rural, um no primeiro semestre e outro no segundo, para estudo, planejamento, organização, e ainda um encontro de lazer para celebrar o dia do catequista, este ano dia 25 de agosto.

É um setor que exige muito deslocamento, atualização, dinâmica, empenho e muito amor. Tenho que manter contato direto com catequistas, crianças, adolescente, jovens e pais, da cidade e da zona rural, e isso é muito gratificante. Tenho um enorme prazer em prestar este serviço à paróquia, pois me sinto muito bem nas comunidades rurais, gosto demais do contato com este povo bom.

 Sempre que vou sou muito bem recebida, sinto uma alegria grande, não só de minha parte, mas também dos catequistas, animadores e também do povo em geral. O pouco que eu faço parece muito para eles, ficam tão agradecidos. Sou grata também a cada catequista pelo trabalho voluntário que presta com tanta dedicação, cada um, no seu jeito, faz o melhor que pode. Na cidade é um pouco diferente porque estou em maior contato com todos, mas os catequistas e os pais têm respondido bem as convocações para reuniões, há boa participação, bom entrosamento, aceitação, ajuda mútua, corresponsabilidades. Tenho recebido elogios por parte de algumas pessoas que dizem: “Essa Irmã trabalha...” “Essa Irmã é pra ontem.” “Eu já trabalhei com muitas Irmãs que eram trabalhadoras, mas como essa ainda não tinha visto.

Nas reuniões com os pais também tenho escutado mães dizendo que estão gostando da catequese porque estão aprendendo com os filhos, pois ao ajudar os filhos nas atividades de pesquisas na bíblia  elas aprendem também. Algumas disseram que é bom verem as crianças interessadas e isso as deixam motivadas para o acompanhamento mais de perto e perceber o quanto estão aprendendo; umas crianças envolvem a família, os colegas, os vizinhos. Outras convidam os pais para irem à missa, pois a catequista ensinou que não se pode trocar Deus por qualquer coisa, que a missa é importante.

Há muitos desafios a serem enfrentados, e particularmente tenho enfrentado com muita garra cada um deles: a situação econômica da paróquia que não dá suporte a catequese; falta de material; falta de transporte; falta de incentivo ao catequista; falta de estrutura física; Na questão humana: desestrutura familiar; descrença e falta de fé dos adultos que reflete nas crianças; sacramentar por tradição; pouco compromisso com a religião. Em contra partida vejo grande compromisso por parte dos catequistas, isso é o que me dá mais satisfação, ver o empenho de catequistas jovens e velhos, homens e mulheres, que dedicam parte de sua vida, pelo prazer de ver os catequisandos crescerem. É doação sem medida, só por amor a Deus e a Igreja.

Penso que minha presença na Catequese Paroquial tem colaborado com o crescimeto dos catequistas nas várias dimensões pois rezamos juntos, estudamos, partilhamos nossas alegrias e dificuldades e buscamos soluções, entramos em contato com a realidade das famílias através de visitas e diálogos e procuramos ser presença de Fé, esperança e compromisso na Paróquia.

A catequese é uma educação permanente da Fé que vai do nascimento até a morte, nunca estamos prontos mas percebo que há sinais de crescimento, há uma maior participação na Igreja, mais engajamento dos pais na comunidade, as crianças participam em muitas atividades, pessoas colocam seus dons a serviço da Igreja… acredito que nossa paróquia tem uma catequese viva, muitos desafios e dificuldades mas, sempre a caminho!

 Sinto que este trabalho ajuda a cumprir a minha missão como Ir Franciscana Bernardina pois é em Nome de Jesus e da Congregação que estou aqui servindo os pequenos com alegria e dedicação e nosso Carisma nos desafia  a ter Fé e confiança na Divina Providência e acreditem, não temos recursos financeiros mas, Deus sempre providencia o que necessitamos para exercer esta missão. Agradeço a Deus por estar aqui e por me sentir tão bem neste trabalho. E assim como Madre Verônica, nossa fundadora, posso também dizer: “Tende Fé e Confiança e tudo vos sairá bem! Sou muito feliz."

Galeria de imagens

Informações

Rua Miguel Couto, 457
Bairro Menino Deus
Porto Alegre-RS
Telefone: 3233-9726